História de mulheres contando histórias

Estávamos com saudade de trazer um pouco da vida dos nossos contadores de histórias pra cá! E hoje, dia Internacional da Mulher, é a vez de mostrar um trabalho lindo que tem tudo a ver co ma data. 

A Lorena Queiroz nem trabalha na Atenção Básica, mas construiu um projeto que tem muito a ver com a nossa proposta na mostra Saúde é Meu Lugar e que definitivamente pode ser replicado por equipes de saúde da família: como estagiária de serviço social em um hospital paraense, ela bolou uma Tenda de Contos para ouvir relatos de mães que tinham crianças pequenas internadas. Naquele espaço, as mulheres puderam falar abertamente sobre suas questões mais profundas, ao mesmo tempo em que se criou um vínculo forte entre elas e as profissionais de saúde que participaram.

Quer conhecer essa história? Lorena enviou para a gente um relato superbacana, que você pode ler aqui.

Por telefone, ela contou pra gente alguns detalhes desse trabalho. Participando do cotidiano da ala pediátrica de um hospital, Lorena sempre se sentiu tocada pelas mães das crianças cardiopatas, que muitas vezes passavam meses na instituição. “Eu tinha vontade de ouvir essas mulheres, mas fora das visitas, queria que elas tivessem um momento só elas, em que elas pudessem falar o que quisessem, sem nem ao menos alguém precisar perguntar”.

O formato da Tenda do Conto caiu como uma luva nessa vontade. A ideia veio da orientadora de Lorena, que lhe apresentou os trabalhos de uma enfermeira chamada Jacqueline Abrantes, idealizadora da metodologia. “Foi importante para que as mães pudessem colocar várias questões, como a saudade dos filhos que ficavam em casa com outros parentes enquanto elas se ausentavam para cuidar da criança internada, o medo da morte, a fé, a esperança na cura”.

Lorena ficou muito feliz com os resultados da Tenda e adorou estar presente na nossa mostra. “É muito importante quando as pessoas põem valor no que você faz, nas suas propostas novas. E, com a mostra, é importante as pessoas conhecerem a realidade da saúde, seja positiva ou negativa. A Saúde é Meu Lugar traz histórias lindas, inspiradoras. Nós, como profissionais, precisamos saber que nosso trabalho é valorizado, e precisamos saber que temos que ser bons. Não porque o mercado exige, mas porque os usuários precisam ser bem tratados todos os dias, precisam de toda a atenção”, falou ela.

E aí, ficou com vontade de contar sua história? Clica aqui e manda ver!

 

Site Footer

Sliding Sidebar

Últimas do Instagram

Nossos Canais