Saúde da família rural no Tocantins

Longas distâncias e poucos agentes são dois grandes problemas enfrentados por Wixson Batista da Silva – um dos poucos agentes comunitários da zona rural de Palmas, no Tocantins. Imagens do seu trabalho foram captadas e enviadas para a nossa mostra pela assistente social Werlem Santiago e você pode conferi-las aqui .

Wixson trabalha como ACS há três anos, sempre na zona rural. Ele acompanha nada menos que 171 famílias, o que dá quase 700 pessoas! Embora 700 seja a quantidade máxima de pessoas que podem ficar sob a responsabilidade de um ACS, esse é um número especialmente alto na zona rural. Isso porque, como disse Wixson à nossa equipe, as distâncias são enormes, muito mais significativas que nas áreas urbanas. E o pior: ele não recebe nenhuma ajuda de custo para o transporte. “Para dar conta, preciso andar muuuuito. E uso a minha própria ‘motinha’, que sofre, coitada”, brincou o agente.

Uma vez por mês o restante de sua equipe – médica e enfermeiros e, às vezes, uma nutricionista – visita as famílias com Wixson e, nos outros dias, ele faz a ronda sozinho. Para Wixson, falta alguém que seria essencial na comunidade: um agente de combate a endemias. Ele tenta suprir essa falta promovendo ações que seriam responsabildiade desse outro trabalhador, como conversas com as famílias para prevenir a dengue, por exemplo.   

O ACS conta que já foi chamado para trabalhar na área rural, mas, apesar das dificuldades do campo, não topou. “O povo aqui é muito receptivo, não tenho vontade de sair”, disse, comentando ainda que, em sua área de atuação, cerca de 90% das famílias são de baixa renda, recebendo cerca de um salário mínimo: “Na saúde, a área é 100% dependente do SUS e esse trabalho de acompanhar as famílias é muito importante para levar as informações”.

Wixson já percebeu melhoras nos indicadores de saúde da população desde que começou a realizar suas visitas: diminuição dos casos de dengue, das internações de crianças e de gestações na adolescência são algumas delas. Por essas e outras, ele se sente satisfeito por fazer o seu trabalho. Mas tem demandas: “O poder público tinha que olhar mais pelos agentes rurais”.

Você atua nas zonas rurais? Mora no campo e tem uma história bonita sobre a atenção à saúde pra contar? Queremos muito saber e mostrar pro mundo! Entra aqui e manda seu texto, suas fotos, seus vídeos ou áudios.

  • Edson Arruda

    Boa tarde!! Ace na zona rural?? Na minha região não tem, uma vez que dengue tem um predominância urbana, salvo nos casos de comunidades bem agromeradas. Também sou acs da zona rural e tenho 149 famílias, é um numero grande de famílias tambem, mas a importância do nosso trabalho é de suma relevância, as vezes é o único profissional que a comunidade tem a disposição.

  • Maria Da Gloria Santos

    parabéns colega, wixon Batista, sou Acs, há 22 anos, amo esse trabalho, mas a cada dia que passa, enfrentamos dificuldades, mas vejo que ai é bem mais difícil , só em não oferecer transporte para o acs, já mostra tudo…imediatamente quando li sua história, fiquei analisando, tanto dinheiro , que os políticos passam a mão , e nós trabalhadores, honestos e honrados, ganhamos tão pouco…e trabalhamos muito. um abraço colega, e boa sorte.

Site Footer

Sliding Sidebar

Últimas do Instagram

Nossos Canais